A PRISÃO DE CADA UM

0

Todos nós estamos presos, ou melhor, somos presos. O máximo de liberdade que se pode almejar é o de escolher sua própria prisão. Aceite essa verdade com otimismo e será mais fácil suportá-la. Liberdade não é uma calça velha, azul e desbotada, conforme a propaganda dos anos 70. No stricto sensu, liberdade não existe.
O nosso cativeiro é bastante tranquilo, podemos passear, ler bons livros, assistir a teatros, ouvir música, namorar. Mas o habeas corpus não existe.
Um emprego que rende um belo salário trancafia você entre quatro paredes, 8, 10 horas diariamente, impedindo-o de chutar o balde, alçar novos voos. Se tem cargo de chefia… nem se fala!
O casamento é uma prisão, mas traz para você as delícias de uma vida sentimental estável, o conforto de um endereço fixo e a imortalidade por meio dos filhos. Os filhos são a nossa pena máxima. Só quem os tem sabe o que significam nesse nosso caminhar em busca da felicidade.
A vida sem laços, sem dependentes para sustentar, tendo o céu como limite – prisão também. Além de chata e vazia.
Se nem a estabilidade, nem a instabilidade nos tornam livres, aceitemos que já é uma vitória a gente poder escolher a nossa prisão. Decidamos quando seremos capturados e quando seremos levados presos. Ninguém nos obriga a nada. Temos autodeterminação, livre arbítrio. É claro que podemos dar um jeitinho no destino.
Todos cometemos o mesmo crime: nascer. Todos temos a nossa prisão. A pior prisão do mundo é aquela que aprisiona a emoção, impedindo-nos de ser felizes, de contemplar o belo, de ver o doce sorriso de uma criança, de ver um casal de namorados de mãos dadas trocando juras de amor eterno. (Acho que exagerei!).
Eu escolhi como prisão, há muitos anos, uma sala de aula. Em algumas ocasiões, pelas voltas que a vida dá, eu saí dela. Mas depois voltei. O bom filho sempre retorna à bela casa que o acolheu desde os verdes anos.
A melhor das prisões é a prisão do amor. Prenda-se pelas leis do amor – amar e ser amado sem restrições – destine-se a viver junto a alguém por todo o sempre. E sua caminhada na terra será mais tranquila e serena!
O mais é nada.(Fernando Pessoa)

Tarcísio Barbosa

jtbarbosa500@yahoo.com.br

Campartilhe.

Comentários desativados.