AGENDA DO MÊS DE ABRIL

0

O mês de abril não é ressaltado tanto como o mês de maio (das mães), junho (das festas e romaria de Santo Antônio de Serra das Araras), agosto (Bom Jesus da Lapa), setembro (entrada da Primavera e jornada da praia no rio São Francisco), novembro (aniversário da cidade) e dezembro (Natal, ternos de folia e o boi de reis).
Em abril comemoram-se: Dia do Índio, primeiro habitante do Brasil e que tanto sofreu – e sofre – nas garras da civilização; descobrimento do Brasil; Tiradentes, herói da Inconfidência Mineira; inauguração de Brasília-DF.

1º – DIA DA MENTIRA

Alguns dizem que tudo começou quando o calendário gregoriano, estabelecido pelo papa Gregório XII em 1582, alterou oficialmente a data do ano-novo para 1º de janeiro, diferente do calendário juliano. Por birra, com a data firmada pelo calendário gregoriano, muitos europeus continuaram comemorando a passagem do ano na data antiga. Viria daí o mote para os trotes de 1º de abril, o falso primeiro dia do ano. Há quem atribua a data a um antigo hábito romano, lembrando que em Roma eram comuns os trotes dados durante o equinócio de primavera.

21 – DIA DO ÍNDIO

Os nativos do nosso País que se fizeram conhecer depois do descobrimento: nações famosas como Tupis e Tupinambás de cujo tronco chegaram os índios que tomaram conta do vale do São Francisco. A nossa língua tomou emprestados diversos termos tupi-guarani

21 – DIA DE TIRADENTES

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, foi um dentista, tropeiro, minerador, comerciante, militar e ativista político que nas capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Foi o mártir da Independência, uma vida pela liberdade do Brasil.

22 – DESCOBRIMENTO DO BRASIL

No dia 22 de abril de 1500 a frota comandada pelo navegador Pedro Álvares Cabral aportava em Porto Seguro, descobrindo um mundo novo, deslumbrante mundo aos olhos dos europeus. Não foi, como muitos acreditam, ao acaso. Foi consequência da mercantilização que grassava na Europa – preciso era o ouro e outros bens para manter os reinos.
Campartilhe.

Comentários desativados.