ARRANJO PRODUTIVO DE FRUTAS VERMELHAS

0

Na sexta-feira 16/2, em reunião com produtores rurais do município, o secretário municipal de Agricultura, Cosmo Fernando Pinto Lima, apresentou o pré-projeto Arranjo Produtivo de Frutas Vermelhas, uma iniciativa do prefeito Evanilso Aparecido Corrêa. Presentes ao evento o prefeito Evanilso, a gerente regional da Emater de Montes Claros, Maria de Lourdes, o gerente regional da Emater de São Francisco, Onias Guedes, o secretário municipal de Obras, Afonso Ruas, técnicos representantes da Epamig e do Banco Sicoob.

O prefeito Evanilso abriu o evento destacando a importância do projeto, concitando os produtores para que o mesmo fosse implantado no município, que não desistissem e citou exemplos regionais de projetos agrícolas que são, hoje, um sucesso, como o da pimenta e pepino e Varzelândia.

Falaram a seguir, destacando a importância do projeto: Maria de Lourdes, parabenizando as autoridades são-franciscanas pela importante iniciativa, disse estar lisonjeada por participar de tão brilhante iniciativa que poderá levar grandes benefícios aos produtores rurais. O gerente regional da Emater, Onias, também ressaltou a importância do projeto e a disposição da Emater de estar ao lado da Epamig e dos produtores para que ele seja um sucesso. João Naves, presidente do Codema, ressaltou que a implantação desse projeto seria uma oportunidade para apagar os fracassos de outros projetos que não deram nada e que os são-franciscano deveriam tomá-lo com orgulho para sair do marasmo.

Prosseguindo, desfeita mesa diretora, o secretário Cosmo apresentou telas mostrando, de maneira técnica, porém muito didática, que deve haver um entrosamento muito próximo e com o mesmo objetivo, do governo, empresários e comunidade sem o que não é possível alcançar o desenvolvimento.

O professor Luís Marques da Silva fez a apresentação do projeto. Valendo-se de uma larga experiência como professor da Unicamp e de estudos no exterior, onde pode ver, de perto, a importância das frutas vermelhas, detalhou para os participantes o que a implantação do projeto poderia significar para os produtores rurais e para o município. Expôs que, mais do que um alimento, as frutas vermelhas fazem do campo dos nutracêuticos, com ampla aplicação em benefício da saúde e, por isso, ganhando muita força no mercado. Em termos econômicos, demonstrou que a atividade é muito mais rentável e lucrativa que a pecuária leiteira, fazendo paralelos do preço do litro de leite e as frutas vermelhas que exigem menos trabalho e rendem muito mais.

Professor Luís fez, ainda, interessantes observações, quebrando certos tabus, como por exemplo: a atividade agrária não se desenvolve em São Francisco por causa das constantes secas. Demonstrou que Pernambuco tem índice pluviométrico (e terras piores) que São Francisco, com média de 400 mm ano, enquanto São Francisco, mesmo na seca, atinge 600 mm, e que as terras do município são de primeira – pelo menos nas áreas previstas para implantação do projeto – fertilidade e muita água (rio São Francisco). E afirmou que em Pernambuco produz-se, atualmente, uva de qualidade, para consumo interno e exportação.

Lembrou o professor que a pecuária é interessante, mas não é tão rendosa quanto uma atividade agrícola bem conduzida, e citou o exemplo de Holambra que trocou a atividade leiteira pelo plantio de flores – hoje aquele município é o maior produtor de flores do Brasil com rendimentos impressionantes.

Por fim citou a produção de frutas vermelhas no Chile que não tem tanta área como no Brasil e que exporta frutas para toda a América, inclusive o Brasil.

Algumas frutas citadas, que podem ser produzidas em São Francisco: caju anão, amora, framboesa, siriguela, cereja, ameixa, bago doce, morando, araçá, acerola, lixívia, graviola, groselha romã, uva, caqui, açaí, Pitanga.

Recomendou a realização de dias de campo para expor o projeto aos produtores rurais;  implantar uma Biofábrica – micropropagação – clone (produção de mudas para atender aos produtores).

Financiamentos: linhas de crédito: Pronaf, Banco do Nordeste e outros com juros baixo.

DEBATE

Foi franqueada a palavra aos participantes. Falaram o vereador Anísio, presidente da Câmara Municipal dizendo que era um privilégio poder falar sobre esse projeto, aplaudindo e incentivando a sua implantação. Cumprimentou o prefeito Evanilso e o secretário Cosmo pela brilhante iniciativa e que, falava em nome da Câmara Municipal hipotecando total apoio ao projeto. Onias Guedes fez alguns observações a respeito  da exposição do professor Luís, ressaltando que o projeto deveria ser bem debatido com os produtores. José dos Passos, falando em nome das comunidades Quilombolas do município defendeu maior atenção para a aplicação das  Políticas Públicas na implantação do projeto, dizendo que as comunidades quilombolas devem ser ouvidas antes da implantação dele. O prefeito Evanilso rebateu sua fala e esclareceu que o projeto não estava sendo implantado, que não havia determinada nenhuma área ainda, que aquele momento era apenas para a sua apresentação. Conceir Damião fez perguntas técnicas quanto à implantação do projeto, no que foi esclarecido pelo professor Luís.

Por fim o secretário Cosmo exibiu um documentário motivador para a platéia e convidou todos para o almoço que foi servido no refeitório do Caic.

 

Campartilhe.

Deixe Um Comentário