MAIS UM GOLPE

0

No calor das discussões a respeito da assinatura de convênio com o município visando a permanência da Emater em São Francisco, uma questão que envolve vários setores da comunidade,que ressaltam a sua importância, a direção central da empresa dá um golpe em São Francisco. Sem qualquer explicação a empresa indica dois técnicos do escritório de Brasília de Minas substituindo os dois técnicos que atualmente ocupam cadeiras no Comitê de Bacia Hidrográfica SF 9 – Afluentes Mineiros do Médio São Francisco (CBHSF9). O fato tem apenas uma explicação: o desprestígio do município de São Francisco diante do governo do Estado, que tem constatação com a transferência da sede do distrito da Copasa e desativação do escritório da Cemig.

É preciso entender a história do CBHSF9 para aquilatar a injustiça e o desrespeito com São Francisco que foi responsável pela instalação dele no Norte de Minas atendendo a um chamado do IGAM, pois era a única região do Estado que ainda não tinha instalado um comitê de bacias do rio São Francisco – região que tem importantes cursos d´água na bacia: rios Urucuia, Acari, Pardo, Pandeiros, Calindó, Itacarambi. Pois bem, com respaldo do Codema e da Prefeitura Municipal, criou-se, em 2005, o Pró-comitê e, a partir do ato e de sua criação, uma equipe de São Francisco deu início ao trabalho de mobilização dos demais municípios da circunscrição do que seria o CBHSF9 – 23 municípios, além de São Francisco. Uma jornada e tanto visitando 16 municípios (fora São Francisco), mantendo contato com prefeitos e lideranças locais. Resultou-se desse árduo trabalho, no que quase nada gastou o governo do Estado, na instalação do CBHSF9, com sede em São Francisco. Desde então, tem sido ativa a participação do Comitê em fóruns estaduais e nacionais, sempre com presença ativa e marcante, discutindo e oferecendo projetos em prol da revitalização da bacia hidrográfica do rio São Francisco. No fórum nacional em Fortaleza o CBHSF9 apresentou o projeto de recuperação e conservação da represa de Santana de São Francisco (Jibóia), um trabalho resultante do estudo de uma equipe de técnicos do Codema, Secretária de Meio Ambiente e Emater. E, no desdobramento do projeto, o CBHSF9 tomou de empreitada a proteção da represa criando e assessorando uma comissão gestora de moradores de usuários dela para administrá-la.

Em todos esses momentos e trabalhos esteve presente a Emater através de dois técnicos do escritório local da Emater, como conselheiros e deles, um, o atual presidente. Mais do que conselheiros, foram técnicos operantes em diversas ações no campo, com total disponibilidade.

Certamente tal fato não é do conhecimento da direção da Emater que, sem qualquer comunicação ou consulta, indicou dois técnicos do Escritório da Emater de Brasília de Minas para substituir os atuais representantes da empresa.

São imprevisíveis consequências, pois vê-se, como pano de fundo, uma jogada política a favor de um município e a desfavor de São Francisco. Emater deu um golpe em São Francisco, assim como tem feito o governo do Estado noutros setores.

Que a população de São Francisco fique atenta quanto a essa despropositada perseguição. Vem aí eleição para governador e deputados do Estado, será o momento para os desamparados dar o troco. Acorda São Francisco, dê o troco na mesma altura, para o que nos desprezam.

O que está por trás do ato da direção da Emater?

Campartilhe.

Comentários desativados.