OUTONO EM BELO HORIZONTE

0

“Cai uma folha, inicia-se o outono. Cai uma lágrima, finda um amor.”

O outono é o tempo em que as árvores libertam suas folhas para aprenderem a voar.  Os dias começam a  ficar mais curtos e se apresentam muito claros, época excelente para fotografar.  Outono é romance, saudade, amor, paixão, nostalgia. Sentado num banquinho no parque municipal aqui em BH, eu me lembro de quando  devia ter uns três/quatro anos   e  caí      de uma gangorra. Papai havia  vindo a BH  procurar trabalho como alfaiate, mas não deu certo e retornamos para o interior, Ponte Nova e, posteriormente,  Viçosa, de onde não mais saímos. Lá se vão quase  70  anos deste evento!

Com olhos só para as belas coisas da vida, vejo namorados passeando de mãos dadas, caminhando sobre as  folhas que caem das árvores formando um tapete. Mamães com seus filhos brincando, gangorrando, vendedores de cachorro quente,  de algodão doce, velhinhos que tomam sol e conversam,  recordando os bons tempos idos e vividos, saudades de amores que se foram ou que nem teriam existido. Pessoas caminhando em busca da boa  forma  física – acho que vão morrer com muita saúde  –   se exercitando na academia ao ar livre. No pequeno lago, vejo crianças e casais de namorados em seus pedalinhos.    Os fotógrafos com seus daquerreótipos, esses já não existem mais, foram substituídos pelos celulares, que todo mundo tem hoje em dia.

Como folhas de outono, já que estou na idade outonal, minhas  ilusões vão caindo à medida que avanço em direção ao inverno da vida! Sou tomado por         uma grande nostalgia.  Será que cumpri bem meu dever na criação da minha família,  fiz o bem sem olhar a quem, ajudei a todos os que precisaram de mim…

O outono da vida é tempo de colheita e de alegria.  De olhar para trás e de ver quanta coisa boa eu fiz. E por que não, de ainda plantar muita coisa? Estou aposentado  não  necessito mais trabalhar pra sobreviver, mas continuarei   trabalhando, produzindo, enquanto tiver saúde. Afinal de contas, ainda não morri!  Nem para o trabalho, nem para os outros prazeres da vida. Inclusivelmente

Depressão?  É para quem não tem trabalho a realizar, compromisso a atender.  Eu jamais terei depressão.  Tenho o meu tempo bastante ocupado.  O Alzheimer, eu já mandei pras “cucuias”.

       Qu’importe l’automne de  ma vie, je travaillerai toujours comme aux temps de ma jeunesse.  Des jours merveilleux m’attendent encore! Que importa o outono de minha vida, trabalharei sempre como nos tempos de minha juventude!  Dias maravilhosos ainda me aguardam!

             E você, no outono da vida, quais são seus planos para o futuro?

  jtbarbosa500@yahoo.com.br

Campartilhe.

Comentários desativados.