PROJETO SÃO FRANCISCO NO CAMINHO DA ESCOLA

0

Na terça-feira 4,  no auditório da Superintendência Regional de Ensino de Januária foi concluído o projeto “O São Francisco no Caminho da Escola” que vinha sendo desenvolvido desde o mês de junho nas escolas de sua circunscrição – área abrangida do rio Urucuia ao rio Carinhanha.

                O projeto é uma ação de iniciativa da SRE, de natureza pedagógica e formação social, em parceria com o documentarista Dêniston Diamantino/Opará Vídeos. O tema surgiu do contexto de desenvolver matizes presentes nesse universo, desde o folclore, músicas, lendas, costumes, além de sua importância social, geográfica e econômica.

                O projeto foi desenvolvido nas escolas circunscritas à SER com o propósito de estimular um trabalho de educação multidisciplinar, configurando-se em um projeto pedagógico que visou, sobretudo, fomentar o respeito à natureza e à prática da cidadania, sem perder de vista o cunho cultural prezando pela sua perenização.

                No desenvolvimento do projeto foram realizados estudos sobre o folclore, gêneros musicais, concursos de fotografias e redação, poesia e curta-filmagem tendo o rio como tema.

                Destaca-se, entre os temas propostos: despertar o sentimento de amor pelo rio; revitalizar o senso de pertencimento e identidade do barranqueiro; incentivar os alunos a conhecerem o rio São Francisco sob o ponto de vista histórico, geográfico, cultural e ambiental; conscientizar o público alvo da necessidade de preservação para garantir o equilíbrio socioambiental da bacia hidrográfica do Rio São Francisco; proporcionar momentos de desfrute artístico-cultural, resgatando a cultura e a história do povo ribeirinho e realizar concursos de redação, poesia, teatro, curta-metragem e fotografias  com participação do público discente.

Objetivo final: tornar o público alvo defensor do Rio São Francisco.

ENCERRAMENTO

                A culminância do projeto aconteceu na terça-feira 4 com a apresentação dos resultados dos trabalhos realizados e homenagens aos vencedores dos concursos. Foi um evento muito festivo e com alto significado pelo envolvimento prazeroso dos participantes. Na primeira parte foram apresentados números artísticos por alunos da escolas da cidade, todos enfocando o rio São Francisco; apresentação muito especial do professor Guilherme Barbosa Pereira que levantou a plateia com excelente performance (canto e violão), depois, com a participação de outro cantor e excelente violonista, professor Isaías – fizeram, com muito bom gosto e arte, a plateia vibrar.

                Foram palestrantes no evento: Dêniston Diamantino, parceiro do projeto. Apresentou um vídeo que chama à reflexão mostrando o que era, como está e o que poderá acontecer com o Rio São Francisco se o homem não cuidar dele. Dramático documentário.

                João Naves de Melo apresentou um histórico do rio buscando suas origens, desde movimentos da Idade Média à sua descoberta, expansão, ocupação e o povoamento da região ribeirinha, abordando os impactos causados pela mineração – ouro e ferro –, destruição do cerrado, comprometimento do aquífero Urucuia, a degradação dos rios Urucuia e Paracatu; a contribuição de exploradores cientistas, engenheiros e escritores.

                Renan Montalvão apresentou facetas de seu trabalho como ambientalistas na recuperação rio Cocha, uma importante contribuição na defesa do rio São Francisco.

                O evento foi marcante na conclusão do projeto que deve guardar a preocupação proposta; “tornar o público alvo defensor do Rio São Francisco”. O primeiro passo foi dado, sem dúvida e a superintendente  Stela A. Abreu Santos e sua equipe, que realizaram um excelente e meritoso trabalho, devem sentir-se recompensadas e o rio São Francisco agradece.

Campartilhe.

Comentários desativados.